Corinthians para no Orlândia de novo e cai na semifinal pelo 6º ano seguido.

Time do interior repete façanha de 2012, 2013 e 2014, e elimina Timão com empate no tempo normal e na prorrogação. Partida é marcada por brigas dentro e fora da quadra

 

Em 2010 o algoz foi o Marechal Rondon. Em 2011 o Carlos Barbosa. Nos três anos seguintes, coube ao Orlândia a proeza de eliminar o Corinthians na semifinal da Liga Nacional de Futsal. Nesta segunda-feira, o Timão teve a sexta chance seguida para chegar à inédita final da LNF. O rival era o mesmo Orlândia, algoz dos três anos anteriores. No primeiro jogo, empate em 3 a 3 no Parque São Jorge. A partida de volta, disputada em Uberaba-MG, parecia que teria um contorno diferente dos anos anteriores. O Orlândia vencia por 3 a 0 até os 12 minutos do segundo tempo. Quando parecia entregue, o Corinthians arrancou um empate em 3 a 3, levando a decisão para a prorrogação. No entanto, a reação corintiana parou por aí. O 0 a 0 no tempo extra classificou o time do interior, que tinha a vantagem do empate por ter a melhor campanha.

 

O jogo foi marcado por uma grande confusão, que interrompeu a partida por cerca de 20 minutos no fim do primeiro tempo. O ápice da briga aconteceu quando um torcedor, que estava na arquibancada do lado do Orlândia, invadiu a quadra para agredir o goleiro Deivd, da equipe do interior paulista. Naquele momento, a partida estava paralisada após uma troca de empurrões entre jogadores das duas equipes, iniciada após discussão entre Neto, do Corinthians, e Gadeia, do Orlândia.

 

Os gols orlandinos foram marcados por Gadeia, Ciço e Douglas. Deives, Elisandro e Leandro balançaram a rede pelo Timão. O rival do Orlândia na final será o Carlos Barbosa, que eliminou o Sorocaba do craque Falcão neste domingo.

 

As partidas da decisão serão realizadas nas duas próximas segundas-feiras (23 e 30). O primeiro jogo, com mando do Orlândia, será novamente em Uberaba, e o duelo decisivo será na Serra Gaúcha. O time paulista busca o terceiro título da LNF, enquanto os gaúchos lutarão pela quinta conquista.

 

A primeira chance foi do Corinthians. Após lançamento para Nenê na área orlandina, a bola chegou limpa para Elisandro, que chutou para a defesa de Deivd. Aos quatro, Nenê arriscou de longe, a bola bateu no travessão e quicou em cima da linha. Os corintianos pediram gol, mas a arbitragem não validou a jogada. Para aumentar ainda mais o drama alvinegro, o Orlândia abriu o placar no lance seguinte. O autor do gol foi Gadeia, completando passe de Jackson. O Timão não se abateu e continuou criando chances. Aos oito, Valdin finalizou da direita e mandou próximo ao travessão. 

 

Fechado e jogando nos contra-ataques, o Orlândia assustou aos 10. Em cobrança de falta da intermediária, Ciço soltou uma bomba, e Guitta espalmou para o lado. Aos 12, Gadeia avançou pela direita e bateu cruzado. A bola cruzou a área corintiana e se perdeu pela linha lateral. O Corinthians respondeu aos 13, quando Leandro se livrou de Jackson e foi derrubado por Deivd dentro da área. A arbitragem mandou o jogo seguir. 

 

A cinco minutos do intervalo, a torcida uberabense foi brindada com dois lances incríveis. O primeiro deles foi uma defesa espetacular de Guitta, em chute de Ciço, que buscava o ângulo. Na mesma jogada, o goleiro corintiano tentou um lançamento longo e acabou acertando o travessão de Deivd, que contou com a sorte para não levar o gol de empate. Aos 19, Simi recebeu na frente e tocou no contrapé de Deivd, que conseguiu fazer mais uma grande defesa. 

 

Quando o primeiro tempo chegava ao seu final, uma grande confusão interrompeu a partida por cerca de 20 minutos. Após discussões e trocas de empurrões entre jogadores e agressões de torcedores, a partida foi reiniciada com três jogadores expulsos. Pelo lado do Orlândia, receberam cartão vermelho: Deivd e Gadeia. Neto foi expulso no Corinthians. 

 

Por conta das expulsões, o Orlândia voltou para o segundo tempo com apenas dois jogadores na linha contra três do rival - o goleiro Du foi lançado pelo técnico Cidão. O Corinthians pressionou incessantemente, mas não conseguiu o gol. Na melhor oportunidade, Simi acertou a trave. Já recomposto, o Orlândia teve grande chance para ampliar aos cinco, quando Ciço arrancou sozinho e tocou na saída de Guitta, que conseguiu desviar para escanteio. As cinco, Douglas avançou pela direita e finalizou rente ao poste.

 

O jogo seguiu movimentado nos minutos seguintes. Aos sete, Deives arriscou da intermediária, e Du espalmou pela linha de fundo. Dois minutos depois, o Orlândia conseguiu chegar ao seu segundo gol. Após tabela entre Dieguinho e Felipe, a bola chegou limpa para Ciço, que só teve o trabalho de empurrar para a rede. Aos 12, o Orlândia tratou de marcar o terceiro e deixar a classificação à final bem encaminhada. O autor do gol foi Douglas, aproveitando bobeada de Pepita.

 

Após o gol, o técnico Fernando Ferretti lançou Leandro como goleiro-linha. E logo na primeira boa jogada, a bola chegou a Deives, que diminuiu para 3 a 1. O gol animou o Corinthians, que aumentou a pressão nos minutos finais. Aos 15, Simi carimbou a trave mais uma vez. Aos 17, Elisandro recebeu na frente e chutou no contrapé de Deivd para marcar o segundo gol corintiano, incendiando o final do jogo. E o que parecia impossível aconteceu. Empurrado pela Fiel, o Timão continuou pressionando e chegou ao empate aos 18, com Leandro, em chute da entrada da área: 3 a 3, resultado do tempo regulamentar.

 

Mesmo com a vantagem do empate no tempo extra, o Orlândia começou o tempo extra pressionando. Logo no primeiro minuto, Jackson colocou Guitta para trabalhar. O Corinthians respondeu com duas finalizações de Valdin em sequência. A segunda delas resvalou na trave. Aos quatro, o Corinthians perdeu Nenê, expulso, ficando com um jogador a menos pelos dois minutos seguintes. O Orlândia aproveitou para pressionar, mas acabou esbarrando na ótima atuação de Guitta, que garantiu o placar zerado até o Timão ficar recomposto.

 

No segundo tempo, Ferretti voltou a lançar Leandro como goleiro-linha. Aos dois, Munim soltou uma bomba da intermediária, e Du tirou com um soco. Um minuto depois, foi a vez de Arthur finalizar por cima da meta. Cada vez mais fechado, o Orlândia aguardou o Corinthians em sua quadra. E a estratégia acabou dando certo, pois o Timão não conseguiu furar o bloqueio da equipe orlandina, que ficou com a classificação. Após o apito final, os jogadores do time do interior comemoraram efusivamente a conquista da vaga.

 

ESCALAÇÕES


Orlândia: Deivd, Renan, Jackson, Gadeia e Dieguinho. Entraram: Felipe, Ciço, Kauê, Renan Fuzo, Douglas, Cabreúva, Du, Guina e Matheus. Técnico: Cidão.

Corinthians: Guitta, Nenê, Leandro, Caio e Elisandro. Entraram: Luiz, Neto, Munim, Deives, Simi, Arthur, Valdin, Gabriel e Pepita. Técnico: Fernando Ferretti.

 

 

11. SOL, Diego

2. DO SANTOS, Jave

3. GARCIA, Carlos

4. VILLAR, Ricci

5. CARELLI, Miguel

Rua Doutor Severino Procópio, Expedicionários, João Pessoa - PB - CEP 58041200. Ginásio Padre Hildon Bandeira – 1º andar

CNPJ: 08.808.321/0001-29   Telefone  (83) 99697-9845 -  e-mail: futsalpb@hotmail.com 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now